Batalha de Palmela: 24 portugueses vão a jogo no Palmela Open

João Monteiro
Portuense João Monteiro será o primeiro cabeça de série do torneio.

Duas dúzias. É esta a quantidade de tenistas portuguesas que se preparam para entrar em ação no SPARKS Tennis Park Palmela ao longo dos próximos dias. Depois da estreia (de sucesso) da Olevra Cup, o clube prepara-se para organizar mais um torneio internacional — agora masculino, e com 15.000 dólares em prémios monetários.

No qualifying estão metade dos jogadores lusos que vão a jogo no torneio. O sorteio, que se realizou no final de tarde desta sexta-feira, ditou que oito deles estão já na segunda ronda (tiveram bye), pelo que sábado, a jornada inaugural, apenas será disputado um encontro da primeira fase. E logo entre dois portugueses: Bernardo Lemos Gomes vs. Tiago Torres.

De resto, David Ramalho, Santiago Fidalgo Ribeiro Gil, Afonso Vaz Viana, Bernardo Roque, André Rodeia, Gonçalo Ferreira, João Graça, João Leal, Fábio Coelho e Miguel Gomes (o último, por intermédio de um wild card) só vão a jogo na segunda ronda, que também tem duelos marcados para este sábado.

A eles, juntar-se-ão ainda três tenistas escolhidos pela Federação Portuguesa de Ténis para os lugares reservados a wild cards e os nove portugueses que tiveram entrada direta no quadro principal: João Monteiro, Fred Gil, Tiago Cação, Bernardo Saraiva (os quatro primeiros cabeças de série), Daniel Batista (que surge na sétima posição), Francisco Cabral (nono, mas que ainda poderá ocupar um lugar entre os oito favoritos), Luís Faria, Gonçalo Falcão e Miguel Semedo.

Quadro de qualificação:

Portugal F17 Futures Qualifying Draw (17 Sep 2018 - 23 Sep 2018) - Singles - Qualifying Draw

Ordem de jogos de sábado:

OOP1
Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."