João Sousa recorda Estoril Open: “Foi um cocktail de emoções muito grande, não sabem o quão difícil é”

João Sousa
Numa grande entrevista à RTP, o número 1 nacional recordou a conquista mais dourada da carreira.

João Sousa foi o convidado da Grande Entrevista da RTP emitida na noite desta quarta-feira. A conversa, de cerca de 26 minutos, viu o número 1 nacional recordar e comentar vários assuntos, sendo a conquista do Millennium Estoril Open, claro, um dos grandes temas de diálogo.

“Foi um momento muito especial na minha carreira. Desde pequenino que tinha o sonho de poder vencer em Portugal, nunca um português tinha conseguido e foi uma semana muito especial para mim, que vai ficar para sempre na minha memória. Houve muitas emoções e muito trabalho por trás dessa vitória”, começou por recordar o atual 49.º do ranking ATP.

João Sousa lembrou, depois, que “por vezes as pessoas não têm consciência do quão difícil é poder vencer no país. Há muito poucos jogadores que conseguiram vencer no seu próprio país, onde há uma pressão suplementar que se sente, sem dúvida, e a particularidade de só termos um torneio ATP em Portugal significa que só tenho uma oportunidade por ano.”

Ainda sobre a vitória no Millennium Estoril Open, houve dois momentos em destaque e que deram origem a mais conversa por parte de João Sousa.

O primeiro foi aquele em que o vimaranense se deixou cair na terra batida do Estádio Millennium e, de mãos na cara, chorou de alegria. “Recordo-me perfeitamente. Foi uma sensação de alívio e ao mesmo tempo de conquista. Foi um cocktail de emoções muito grande e é difícil descrever o que estava a sentir naquele momento. É a maior alegria que eu tive no ténis. Depois de toda uma carreira poder vencer em Portugal foi e é muito especial e esta fotografia denota a dedicação e a explosão de alegria que senti.”

Já o segundo, foi a inesperada e repentina visita de Marcelo Rebelo de Sousa, que depois de um dia atarefado se deslocou ao Clube de Ténis de Estoril para congratular o Conquistador quando “estava literalmente dentro do chuveiro quando o Sr. Presidente entrou no balneário. Foi uma grande surpresa e obviamente uma alegria e uma surpresa ótima. Sabia que ele é um aficionado do ténis e tendo ele uma agenda tão preenchida ter essa dedicação e gesto carinhoso comigo foi uma coisa que vai ficar na minha memória.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."