Nunca um jogador tinha esperado tanto quanto Juan Martin del Potro para voltar à final de um Grand Slam

Juan Martin Del Potro
Fotografia: USTA/Darren Carroll

Na ressaca de mais uma edição do US Open — a 50.ª na Era Open — surgem dados curiosos e, nalguns casos, verdadeiramente históricos. Como este, que diz que nunca um jogador tinha esperado tanto tempo quanto Juan Martin del Potro para voltar a jogar a final de um torneio do Grand Slam.

A primeira participação do jogador argentino na decisão de um dos quatro maiores torneios do mundo aconteceu no já longínquo ano de 2009, quando se sagrou campeão do US Open. Ora, a segunda aconteceu este fim de semana, nove anos depois, o que significa que entre as duas jogaram-se 35 Majorsque se traduzem no maior de intervalo de tempo da história do ténis entre a primeira e a segunda final de um jogador nestes eventos.

Mas há mais: desses 35, Juan Martin del Potro participou em 21 (desistiu dos restantes devido a várias vagas de lesões), registo que constitui o recorde de maior número de aparições em torneios do Grand Slam entre finais.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."