Djokovic volta a insistir: “O ATP Finals devia mudar de cidade a cada três ou quatro anos”

Novak Djokovic
Tenista sérvio é um dos maiores campeões da história do "Masters" de final de ano | Fotografia: Western & Southern Open

Não é uma declaração nova, porque o sérvio já a vem a proferir há largos anos, mas não deixa de ser interessante: este domingo, depois de se sagrar campeão do Masters 1000 de Cincinnati pela primeira vez, Novak Djokovic voltou a deixar claro que gostaria de ver o derradeiro torneio da temporada mudar de “casa” mais vezes.

Apesar de ainda não estar oficialmente qualificado — nesse sentido, só Rafael Nadal já tem certezas –, o tenista sérvio está muito perto de garantir um lugar no Nitto ATP Finals, cenário que inclusive se pode verificar já durante o US Open.

E foi a esse propósito que relembrou as suas passagens pela capital britânica, onde já venceu por cinco vezes e no qual se diz “sentir como uma estrela de rock. A casa está sempre cheia e os efeitos e luz e som são incríveis. É tudo feito da forma certa.”

No entanto, Novak Djokovic lembra que “o torneio já acontece em Londres há quase dez anos (desde 2009). Basicamente, vai estar lá durante mais de dez anos“, o que não lhe agrada: “Acho que é demasiado tempo. Este é o maior torneio que a ATP detém e acho que devia utilizar isso como uma vantagem para promover o ténis um pouco por todo o mundo. Tenho a certeza de que há muitas cidades que querem organizar este evento e acho que seria excelente para o ténis que o Nitto ATP Finals mudasse de cidade a cada três, quatro anos.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."