Em Vila do Conde imperou a armada portuguesa

Melhor seria impossível: todas as variantes da edição de 2018 da Vila do Conde Junior Tennis Cup foram arrecadadas por tenistas portugueses, o que se traduziu num feito muito raro e num fim de semana de festa só com as cores lusas nos campos de carpete do Grade 4 local.

Começando pela vertente individual feminina, apenas uma jogadora nacional logrou chegar aos quartos de final: nada mais, nada menos que Matilde Jorge (1449.ª).

A irmã mais nova de Francisca Jorge, que já este ano triunfou em torneios internacionais de sub-16, alinhou uma campanha muito boa para se estrear aos 14 anos(!) a vencer provas do escalão de sub-18 este domingo, por intermédio de uma vitória em duas partidas, por 7-6(4) e 6-2, conseguida às custas da espanhola Uxia Moral (2401.ª).

Se no lado feminino houve escassez de representantes lusitanos em fases decisivas, o mesmo não se pode dizer da variante masculina individual: os semi-finalistas eram todos portugueses.

Numa decisão obviamente 100% lusa, foi Fábio Coelho, número 2148 do ranking mundial de juniores, quem arrebatou o evento ao impor-se a Tomás Luís, 1142.º colocado da tabela de sub-18, por 6-1 e 7-5.

Também nos pares foram os jovens lusos que celebraram este sábado: Matilde Jorge, que viria depois alcançar a “dobradinha”, uniu forças com Camila Garcia para arrasar as quartas favoritas, as francesas Meline Chaumeil e Tara Zoppas, por 6-0 e 6-1; já no sector masculino, Hugo Maia e Manuel Gonçalves confirmaram o estatuto de primeiros pré-designados para, numa final totalmente lusa, derrotar Tomás Luís e Pedro Araújo por 6-2 e 7-5.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.