Andy Murray não resiste a Lucas Pouille na estreia em Cincinnati

Andy Murray-9
Fotografia: Paul Zimmer

Andy Murray não foi capaz de repetir em Cincinnati os quartos de final atingidos há duas semanas em Washington, onde desistiu antes de entrar em court devido a problemas físicos. O ex-número um mundial — atualmente na longínqua 375.ª posição — caiu esta segunda-feira aos pés do francês Lucas Pouille (17.º), num encontro definido pelos parciais de 6-1, 1-6 e 6-4.

A disputar apenas o segundo torneio desde junho, Murray passou ao lado do inicio do duelo vencendo apenas um jogo de serviço no primeiro set. Já na segunda partida, o ímpeto adquirido pelo adversário inverteu-se totalmente a seu favor. O britânico respondeu na mesma moeda e após três breaks sem resposta conseguiu igualar a contenda.

Por fim, na ‘negra’, Pouille volta a surgir na disputa e conquista a única quebra do set logo no jogo inaugural. Posteriormente, na reta final do embate, o eventual vencedor contrariou habilmente as investidas de Murray e fechou o triunfo numa altura em que relógio se preparava para marcar as duas horas.

O atleta de 24 anos regista assim a primeira vitória sobre sobre o tri-campeão de torneios do Grand Slams. Nos quatro encontros anteriores, Murray não havia cedido qualquer set.

Pouille — vencedor de cinco títulos ATP (o último dos quais Montpellier, em fevereiro) — avança assim para a segunda ronda do Masters 1000 de Cincinnati, onde irá enfrentar o argentino Leonardo Mayer (50.º).

Compatriota Richard Gasquet segue em sentido inverso

Num duelo entre antigos campeões do Millennium Estoril Open, o vencedor da edição de 2017 superiorizou-se ao campeão de 2015 e seguiu, também esta segunda-feira, para a segunda ronda da prova de Cincinnati. Por outras palavras, Pablo Carreno-Busta (13.º) eliminou Richard Gasquet (26.º) em três sets, definidos pelos parciais de 6-3, 2-6 e 6-3.

O parceiro de pares de João Sousa espera agora o desenrolar do confronto entre o alemão Maximilian Marterer (45.º) e o norte-americano Bradley Klahn (102.º) para conhecer o seu próximo oponente.

 

António Vieira
Natural de Lisboa e licenciado em Gestão, vê no Ténis uma extraordinária modalidade com vasto potencial a ser explorado em Portugal. Tem como principal objetivo a contribuição no seu crescimento partilhando com o Mundo a sua espetacularidade.