João Sousa estabelece melhor ranking em pares

João Sousa pares
Fotografia: Fernando Correia

[texto de opinião originalmente publicado no website da Federação Portuguesa de Ténis]

Dois anos depois de ter estabelecido o seu melhor ranking em singulares (28º a 16 de maio de 2016), João Sousa tornou-se oficialmente, esta semana, o melhor jogador português de sempre em pares, ao figurar no 56º lugar, superando a 58ª posição de Nuno Marques, em 1997.

Ao fim de quase 20 anos, e ao que tudo indica João Sousa tem todas as condições para terminar 2018 como nº 1 em singulares e pares, algo que não se registava há muitos anos ao nível da elite. Em singulares, João Sousa encontra-se no 45º lugar e em pares na 56ª posição e distam cerca de 200 pontos nesta variante para entrar no top 50.

A longevidade do reinado de Nuno Marques, atual capitão da Taça Davis, perdurou 21 anos e tem um significado muito especial: o reconhecimento de uma carreira bem recheada e repartida pelas duas variantes.

Os marcos na carreira de Nuno Marques não são fáceis de apagar na nossa memória e só agora é que aparece um João Sousa com uma outra dimensão, munido de armas que lhe possibilitam vitórias tanto em singulares como em pares.

A destreza e compreensão do jogo, aliada ao ganho de outros recursos técnicos e táticos, possibilitam a João Sousa estar na linha de frente com bastante consistência e posicionar-se como uma escolha preferida pelos melhores jogadores de pares, ganhando a sua admiração e respeito quando é chamada a hora das opções nesta variante.

Diga-se, porém, que João Sousa nunca deixou de apostar nos pares e convém recordar que, aos 25 anos, a 6 de outubro de 2014, já figurava no 99º lugar em pares e simultaneamente na 49ª posição em singulares.

Agora, falta um pequeno degrau para João Sousa acrescentar títulos em pares aos três que já conseguiu em singulares no calendário do ATP Tour: Kuala Lumpur, Malásia (2013), Valência (2015) e Millennium Estoril Open (2018).

Recorde-se que Nuno Marques venceu em março de 1997 o ATP de Casablanca, Marrocos, em terra batida, em pares ao lado de João Cunha e Silva, tendo derrotado na final os marroquinos Karim Alami e Hicham Arazi.

Os melhores portugueses de sempre em pares:

1º João Sousa, 56º (30/7/2018)
2º Nuno Marques, 58º (21/4/1997)
3º Cunha e Silva, 72º (13/3/1989)
4º Emanuel Couto, 91º (6/9/1997)
5º Leonardo Tavares, 95º (13/9/2010)
6º Bernardo Mota, 96º (9/6/1997)
7º Frederico Gil, 105º (20/9/2010)
8º Gonçalo Oliveira, 113º (23/7/2018)
9º Gastão Elias, 151º (15/8/2016)
10º Rui Machado, 185º (17/1/2011)

Norberto Santos
Ex-redator principal do Record e historiador do ténis português.