Serena Williams: “Quando não tenho nada a perder, posso jogar mais liberta e é isso que estou a fazer”

Fotografia: AELTC/Simon Bruty

Serena Williams está de volta a uma final de um torneio do Grand Slam. Após ter estado ausente do circuito por mais de um ano, devido à maternidade da sua primeira filha, a tenista norte-americana venceu esta quinta-feira Julia Goerges num encontro referente à meia-final de Wimbledon, qualificando-se assim para o encontro derradeiro da prova que já venceu por sete vezes.

Em declarações proferidas após a vitória frente à alemã, Serena não escondeu a felicidade sentida por estar a apresentar um nível tão elevado no Major britânico: “Não é inevitável para mim estar a jogar assim. Tive várias cirurgias e quase não sobrevivi quando dei à luz. Estou a aproveitar cada momento.”

Na verdade, a antiga número um mundial não esperava chegar tão longe na competição londrina depois do difícil período de recuperação a que o nascimento da sua filha Alexis a sujeitou. “Lembro-me de quando eu não podia sequer ir até à minha caixa de correio, portanto definitivamente não é normal estar numa final de Wimbledon”, confessou.

E apesar da alegria que tal conquista proporciona a Serena, a tenista acredita que não tem nada a perder neste momento da sua carreira. “É uma loucura. Eu nem sei como me sentir porque literalmente não esperava chegar tão longe no meu quarto torneio jogado em 16 meses. Sinto que, quando não tenho nada a perder, posso jogar mais liberta e é isso que estou a fazer”, referiu a campeoníssima norte-americana, que volta a enfrentar uma tenista germânica na final, desta feita Angelique Kerber.

Ema Gil Pires
Alfacinha de gema e atualmente a concluir a licenciatura de Ciências da Comunicação da Universidade Nova de Lisboa, sentiu desde sempre uma enorme paixão pelo mundo do Ténis. Seja a escrever sobre ele, ou até mesmo dentro de court.