Olevra Cup. Inês Murta e Rita Pinto com razões para sorrir depois da primeira jornada de pares

Inês-Murta

PALMELA – Dia de pares, muitos pares, no SPARKS Tennis Park Palmela. A quinta jornada da Olevra Cup 2018 foi maioritariamente dedicada à variante de duplas, com os encontros da primeira ronda a ficarem concluídos num espaço de sete horas. O balanço? Duas vitórias portuguesas, duas derrotas.

A primeira a entrar em ação foi Inês Murta, e a algarvia foi, também, a primeira a vencer: a jogar ao lado de Fatma Al Nabhani, a jogadora que vem de Omã e ontem a tinha derrotado na primeira ronda de singulares, a número 1 portuguesa derrotou Luniuska Delgado e Vlada Ekshibarova por 6-3 e 6-3, em apenas 62 minutos.

A essa, seguiu-se uma outra vitória com assinatura portuguesa: Rita Pinto, que juntamente com a norte-americana Lauren Proctor recebeu um wild card, bateu as britânicas Eden Silva e Maia Lumsden, por 6-3 e 7-6(1), em 1h22.

A fechar o dia, dois desaires: Cláudia Gaspar e Marta Oliveira (também wild cards) tiveram três match points, mas não conseguiram converter nenhum e acabaram derrotadas por 2-6, 6-3 e 15-13 pelas espanholas Ainhoa Atucha Gomez e Maria Gutierrez Carrasco, antes de Francisca Jorge perder, ao lado de Olga Parres Azcoitia, por 6-3 e 6-2 para Tereza Mihalikova e Julia Terziyska (terceiras cabeças de série).

Já nos quartos de final, Rita Pinto (não antes das 14h30) e Inês Murta (não antes das 16h) vão regressar ao court esta quinta-feira para disputarem os respetivos encontros dos quartos de final, que serão transmitidos em direto no Facebook do Raquetc.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."