Federer: “Detesto estar aqui a explicar derrotas, pois dói mais perder em Wimbledon”

Federer W
Fotografia: AELTC/Ben Solomon

Kevin Anderson foi o 11.º tenista a derrotar Roger Federer em Wimbledon. A vitória épica do sul-africano aconteceu em pleno Court No.1 (palco onde o suíço não jogava desde 2015), num encontro que Federer até liderou por dois sets a zero e chegou a estar a um ponto de carimbar o passaporte para as meias-finais.

“Não sei quando perdi o controlo do embate. Talvez no match point que não aproveitei, talvez no break que sofri de seguida, houve vários momentos no encontro, mas não consigo identificar um em particular, exceto o match point“, afirmou o número 2 mundo, em conferência de imprensa.

O estilo de jogo de Anderson não apanhou Federer de surpresa, de todo. “Tinha perfeita noção de como o Kevin iria jogar, portanto não fui surpreendido. Tive as minhas oportunidades, mas ele jogou de forma muito sólida, esteve muito consistente”, observou.

“Detesto estar aqui a explicar derrotas, pois dói um pouco mais perder em Wimbledon”, assumiu o campeoníssimo suíço, que lamentou não ter conseguido estar à altura dos acontecimentos: “Acho que não o forcei demasiado a fazer algo extraordinário para ganhar. Ele jogou bem, sim, mas creio que não o desafiei o suficiente”.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.