Serena, sempre tranquila: “Nunca achei que estivesse em perigo de perder o encontro”

Serena Williams
Pela 15.ª vez na carreira, Williams está nas meias-finais de Wimbledon | Fotografia: AELTC/Joel Marklund

Serena Williams. Uma e outra vez e, neste caso, pela 15ª: isso mesmo, pela décima quinta vez, a jogadora norte-americana está apurada para as meias-finais do quadro principal de singulares do torneio de Wimbledon.

O feito foi consumado com uma vitória sobre Camila Giorgi, num encontro em que começou por baixo e conseguiu dar a volta, mas nem isso afetou a tranquilidade à ex-número 1 mundial, atual 181.ª: “Nunca achei que estivesse em perigo de perder o encontro. Mesmo quando perdi o primeiro set, pensei ‘bem, ela está a jogar muito bem e eu estou a fazer muitas coisas certas’. Nunca senti que estivesse fora das minhas possibilidades.”

Se há uma lição que vou ensinar à minha filha é que nunca pode desistir e que deve continuar sempre a lutar. É muito importante que independentemente daquilo que estejas a atravessar na vida nunca desistas”, afirmou ainda a norte-americana de 36 anos na conferência de imprensa que se seguiu ao quinto triunfo no All England Club.

Sobre o encontro propriamente dito, e já em declarações à BBC, Serena Williams não se mostrou surpreendida com o rendimento da italiana, que jogou pela primeira vez os quartos de final de um Grand Slam: “Sempre que jogo com a Giorgi ela joga a este nível, mas também o faz contra as outras jogadoras, o que é bastante impressionante. Por isso sabia que não ia ser um encontro fácil. Não fiquei surpreendida com o primeiro set“.

Agora, nas meias-finais, a por sete vezes campeã de Wimbledon aguarda a alemã Julia Goerges, que pela primeira vez na carreira vai disputar a penúltima fase de um Major. O confronto direto regista dois encontros entre ambas, nos longínquos anos de 2010 e 2011 e sempre com vitórias para Williams.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."