Maria João Koehler entra com uma vitória no quadro principal da Olevra Cup

Maria-João-Koehler

PALMELA – Começo em grande para Maria João Koehler no SPARKS Tennis Park Palmela: convidada pela organização para o quadro principal de singulares da Olevra Cup, a tenista portuense entrou a ganhar, qualificando-se para a segunda ronda no início de tarde desta terça-feira.

A disputar o seu primeiro encontro desde que regressou aos títulos em Guimarães, há cerca de uma semana, Maria João Koehler (670.ª WTA) derrotou Marianna Zakarlyuk (510.º) por 6-2, 5-7 e 6-2.

Com vários atrasos e cancelamentos nas ligações aéreas, a jogadora ucraniana de 21 anos teve muitas dificuldades em chegar a Lisboa e, depois, a Palmela. Não foi, por isso, de estranhar ver a tenista portuguesa de 25 anos entrar melhor no encontro, consumando quatro quebras de serviço (contra duas) para vencer a primeira partida. No entanto, Zakarlyuk não desistiu e mesmo estando break abaixo no segundo set conseguiu igualar o encontro; depois, foi uma questão de Koehler recuperar a concentração para voltar à liderança do encontro e não mais perder o controlo.

A entrada com o pé direito no ITF de 25.000 dólares de Palmela significa que Maria João Koehler é, para já, a única jogadora portuguesa a marcar presença na segunda ronda (onde enfrenta Sarah-Rebecca Sekulic, a alemã que é a sétima cabeça de série e recuperou da desvantagem de um set para vencer Jacqueline Cabaj Award por 4-6, 6-2 e 6-4).

Mais tarde, no segundo encontro das 14h30, Inês Murta — que passou com sucesso pelo qualifying — defronta Fatma Al Nabhani (a sua parceira de pares) na procura de um lugar na segunda eliminatória. Esse encontro também será transmitido em direto no Raquetc.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."