Boa campanha de João Sousa no quadro de pares termina nos oitavos de final

Depois de terem alcançado os quartos de final da edição de 2015 do US Open, João Sousa & Leonardo Mayer procuravam esta segunda-feira replicar essa brilhante prestação no torneio de Wimbledon, mas a formação composta pelo sul-africano Raven Klaasen e pelo neozelandês Michael Venus colocou um travão nas aspirações do duo luso-argentino, num confronto discutido taco a taco.

O duelo que decorreu no Court 18 do All England Club e que contou com transmissão televisiva na Sport TV foi decidido em detalhes, sendo que Sousa & Mayer até dispuseram de mais oportunidades para quebrarem o serviço, cometeram mais winners e menos erros não forçados, mas no final foi a dupla adversária que celebrou a vitória, parciais de 6-3, 7-6(5), 6-7(5), 6-7(3) e 6-3, ao cabo de 3h20.

Estatísticas do encontro via site oficial de Wimbledon

Apesar da derrota, que nunca se deseja, João Sousa tem razões para estar satisfeito com a sua prestação na variante de pares do torneio de ténis mais prestigiado do mundo. Afinal, além da sempre importante quantia monetária, o vimaranense vai registar brevemente o seu melhor ranking de pares da carreira (na classificação virtual, neste momento, surge em 64.º).

No quadro de singulares, recorde-se, o pupilo de Frederico Marques teve uma passagem bastante discreta, perdendo de forma inglória frente ao ucraniano Sergiy Stakhovsky, em cinco partidas, depois de ter recuperado de uma desvantagem de 2-0 em sets.

Terminada a época de relva, João Sousa regressará aos courts nos torneios europeus jogados em terra batida. A primeira paragem será em Umag (16 a 22 de julho), na Croácia — um evento no qual já discutiu o título de campeão (2015).

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.