Marián Vajda: “Nunca pensei que o Novak chegasse à final”

Djokovic-Vajda -
Fotografia: Realis

Marián Vajda regressou à equipa técnica de Novak Djokovic em inícios do passado mês de abril, retomando uma ligação que havia sido interrompida em maio de 2017.

Em declarações publicadas na edição online do The Telegraph, o treinador eslovaco de 53 anos revelou que a chamada do antigo número 1 mundial a pedir-lhe para voltarem a trabalhar juntos o surpreendeu. “O Novak apanhou-me de surpresa, ao pedir-me para regressar à sua equipa técnica. Mas obviamente que fiquei muito satisfeito. A diferença desta vez é que o seu ténis não estava ao nível que esteve em tempos, pelo que tivemos que começar tudo de novo”.

No entanto, como refere, a decisão não foi tomada na hora. “Tive um misto de emoções quando ele me ligou, porque não acompanhava o seu ténis há quase um ano e porque queria passar mais tempo em casa com a família. Conversei durante três dias com a minha família para decidirmos em conjunto o que fazer e só depois percebi que seria bom e importante para mim regressar”.

Djokovic disputou ontem (domingo) a final do torneio de Queen’s, naquela que foi a sua primeira final desde junho do ano passado, quando se sagrara campeão em Eastbourne. E Vajda gostou do que viu.

“Tinha ideia que ele poderia jogar bem, mas nunca pensei que chegasse à final. Estou muito satisfeito com o nível de jogo que ele apresentou durante a semana”, indicou, não deixando de elogiar o seu pupilo: “A personalidade do Novak é a mesma de sempre. Ele é um tipo porreiro, adora competir e sempre foi um grande lutador e um grande campeão. É entusiasmante para mim voltar a trabalhar com ele”, comentou.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.