Gasquet confessa: “Sabia que o Federer ia a Estugarda e por isso não me inscrevi”

Richard-Gasquet
Fotografia: Libéma Open 2018

Richard Gasquet ofereceu a si próprio a prenda perfeita para o 32.º aniversário: em ‘s-Hertogenbosch, o tenista francês regressou aos títulos dois anos depois e logo com uma vitória na relva, a superfície onde, há 13 anos, erguera o primeiro troféu da carreira.

Mas o desfecho poderia não ter sido o mesmo caso o atual número 25 do mundo optasse por outra via, e Richard Gasquet sabia-o. De tal forma que, depois de derrotar o compatriota Jeremy Chardy na grande final do Libéma Open, foi o próprio a confessá-lo: “Admito, sabia que o Roger [Federer] ia jogar em Estugarda e por isso não me inscrevi, valia mais a pena vir aqui.”

E valeu mesmo: na localidade alemã o tenista suíço conquistou o 98.º título da carreira — 18.º na relva — e assim, em ‘s-Hertogenbosch, Richard Gasquet teve “caminho aberto” para regressar às conquistas no circuito masculino.

Quem disse que ser calculista não vale a pena?

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."