US Open alarga sistema de “hawk-eye” a todos os courts e quadros

Um ano depois de ter introduzido, pela primeira vez na história do ténis, o “shot clock” em campo para os encontros da fase de qualificação, o US Open prepara-se para fazer mais história do ponto de vista tecnológico: este ano, vai tornar-se no primeiro torneio do Grand Slam a dispôr da tecnologia “hawk-eye” em todos os courts e para todos os encontros de todos os quadros.

A informação foi avançada esta segunda-feira por Ash Marshall, editor assistente da United States Tennis Association e do US Open, no Twitter: Dando sequência à sua tradição de inovação, o US Open vai ter o sistema de repetição eletrónica hawk-eye em todos os courts para todos os quadros principais masculinos e femininos de singulares, pares e pares mistos.”

Nesse sentido, o quarto e último Grand Slam da temporada passará a ser o primeiro a dispôr da tecnologia, cada vez mais utilizada nos quatro campos do globo, em todos os campos.

Esta será, por isso, a segunda inovação tecnológica a marcar a edição de 2018 do torneio que se realiza em Flushing Meadows, Nova Iorque, entre os dias 27 de agosto e 9 de setembro. Em abril, já tinha sido anunciado que o shot clock — o relógio eletrónico que foi utilizado na fase de qualificação de 2017 para regular o tempo entre os pontos — será utilizado também nos quadros principais.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."