Henri Leconte diz que “a nível técnico todos têm ténis” para bater Nadal, mas que falta a parte mental

Roland Garros está aí à porta e para muitos o grande favorito é Rafael Nadal, campeão por 10 ocasiões em Paris e que chega à capital francesa com o estatuto de número um mundial.

A opinião de Henri Leconte não difere muito da geral, com o ex-número 5 do ranking ATP a dar como principal entrave na conquista do segundo Grand Slam da temporada o próprio espanhol.

“Diria que é ele mesmo. Este ano talvez seja mais difícil, visto que não está tão jovem. Talvez esteja enganado, mas penso que cada vez será mais complicado. Agora vemos os jogadores a encurtar mais os pontos, a bater mais forte na bola e a evitar meterem-se em grande trocas de bola. Mas sim, o Rafa é o grande favorito em Paris”, afirmou o comentador do Eurosport em entrevista ao Punto de Break.

Apesar de ver Nadal como claro favorito, Leconte não descarta uma surpresa, ele que afirma que a maior diferença entre o maiorquino e a concorrência está no nível mental.

“Quem sabe. Talvez apareça alguém que esteja preparado mentalmente para aceitar uma batalha que seria enfrentar o Rafa e tentar algo diferente. Acho que isso é o mais importante, estar forte a nível mental. A nível técnico todos têm o ténis, mas também temem enfrentá-lo sobre a terra batida”, referiu.

Quanto à possível surpresa, para o finalista de 1988, só poderá vir de um tenista da nova geração. “A única surpresa que vejo possível seria por parte da Next Gen“, finalizou sobre o tema.

Francisco Semedo
A tirar a licenciatura em Turismo na Universidade Europeia, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.