Prémios maiores e torneio misto. Eis as ambições de Manuel de Sousa para o Lisboa Belém Open

Manuel
Fotografia: Fernando Correia/LBO 2018

LISBOA – Terminou este domingo mais uma edição do Lisboa Belém Open. E a despedida da segunda edição não foi uma despedida qualquer: falou-se do futuro, do crescimento desafiado e desejado até… Antes do tempo.

Porque se na apresentação do torneio Manuel de Sousa, o diretor do Challenger lisboeta, foi desafiado por Sónia Paixão, da Câmara Municipal de Lisboa, a transformar o Lisboa Belém Open num torneio misto em 2021 (ano em que a capital portuguesa será, também, a capital europeia do desporto), a vontade do responsável máximo do torneio é fazê-lo ainda antes desse ano.

“Julgo que o prizemoney vai subir no próximo ano e muito provavelmente vamos fazer um torneio misto antes de 2021. Mas agora é deixar acalmar, descansar depois desta edição. Ainda assim, acredito plenamente que é possível subir os prémios e fazer um torneio misto no próximo ano“, disse Manuel de Sousa na conferência de imprensa que aconteceu depois da vitória de Tommy Robredo e na qual frisou ainda que “esta é a melhor data. Também posso equacionar setembro, mas à partida [em 2019] será novamente em maio.”

De resto, o diretor daquele que é um dos dois torneios Challenger ATP a acontecerem em Portugal esta época — o outro foi o Braga Open, na semana anterior –, referiu que “termos o regresso do Tommy Robredo [aos títulos] vai ficar registado para sempre. Como ele disse, não ganhava um título há cinco anos e achei fantástica a reação dele no final, a emoção que sentiu ao vencer o torneio. Para mim, é um momento que não vou esquecer enquanto organizador.

As observações feitas pelas estrelas do torneio, ou seja, os jogadores foram outro dos assuntos abordados. E Manuel de Sousa, apesar de ainda não conhecer as notas que são sempre dadas pela ATP, afirmou ter “a consciência de que tudo foi feito para se criar condições de eleição. Já viajei por muitos torneios Challenger a acompanhar o meu filho, Pedro [Sousa], e, sem facciosismos, nunca vi um ao nível deste. Na opinião dos jogadores o torneio foi muito bem realizado, com excelentes condições e foram muito bem recebidos. Não houve um único aspecto negativo até agora.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."