Denis Shapovalov: “Sinto que o Nadal me respeita como jogador”

Denis Shapovalov saiu derrotado do torneio de Roma na terceira ronda, cedendo ante Rafael Nadal em dois parciais, mas considera ter aprendido bastante com este jogo. O tenista canadiano está a fazer um bom mês de maio em terra batida, já que também alcançou em Madrid uma ronda avançada, ao ter sido apenas travado na meia-final.

O jogador inserido na ATP NextGen refletiu sobre o encontro contra o maiorquino e considera que este “tem jogado muito bem durante toda a temporada de terra batida”. Shapovalov comentou ainda o facto de querer “rever o encontro e aprender para o futuro. Foi muito divertido jogar contra ele e ter podido ver na primeira pessoa como ele é difícil de bater em terra batida”, finaliza, abordando de seguida as suas participações nos dois últimos Masters disputados.

“Nunca esperei chegar tão longe nos torneios de Madrid e Roma. Estou muito contente com o meu esforço. Quem sabe um dia a terra batida me fascine e seja a minha superfície favorita”, disse o canadiano. “Os canhotos sempre se deram muito bem nesta superfície. Quero continuar a aprender como se joga em terra batida e melhorar para um dia ser uma superfície eficaz para mim, de momento a minha favorita ainda é a relva”, acrescentou.

Defrontar um jogador como Nadal em terra batida pode ser bastante complicado e Denis Shapovalov falou sobre essa pressão: “Nas trocas de bola longas senti-me confortável. Claro que ele ganhou a maioria delas mas senti-me bem. É uma lição para mim saber que posso competir contra ele e que não tenho de encurtar os pontos”.

“Já consegui muito mais do que esperava nestes torneios, tudo o que aconteça em Paris será incrível, mas se perder na primeira ronda não ficarei triste.”, rematou o número 29 do ranking ATP acerca das suas expectativas para Roland Garros.

Ainda sobre Rafael Nadal, Shapovalov considera o espanhol “uma lenda” e sente-se lisonjeado por ser respeitado por ele: “Falámos algumas vezes e sinto que me respeita como jogador, o que para mim significa muito.”

Pedro Cunha
O ténis apareceu na minha vida como apenas mais um desporto mas rapidamente o cheiro das bolas e o pó cor de laranja da terra batida onde pratico tornaram a minha vida melhor. Desde o som das pancadas, ao simples abrir de uma lata nova de bolas, tudo neste desporto tem encanto.