Sharapova triunfa no encontro inaugural em Roma

Maria Sharapova M-
Fotografia: Mutua Madrid Open

Longe vão os tempos em que Maria Sharapova (40.ª) dizia sentir dificuldades em movimentar-se em courts de terra batida. “Sinto-me como uma vaca no gelo”, chegou a afirmar.

Agora, e detentora de um palmarés invejável onde constam 11 troféus de torneios jogados sobre pó de tijolo (dois de Roland Garros), a antiga número 1 mundial sente-se como peixe na água quando tem de sujar as meias.

Depois de ter sido eliminada logo à primeira no torneio de Estugarda, Sharapova conseguiu fazer melhor na semana passada, em Madrid, ao chegar aos quartos de final. E em Roma, para já, seguiu esta terça-feira para a segunda eliminatória de uma prova que já ganhou por três vezes (a última das quais em 2015, precisamente o seu último título nesta superfície).

Os números que ilustram a difícil vitória da popular tenista russa de 31 anos definiram-se com os parciais de 7-5, 3-6 e 6-2, ao cabo de 2h30, no duelo com a talentosa australiana Ashleigh Barty (18.ª), que ao contrário de Sharapova não morre de amores pela terra batida.

A adversária na ronda seguinte já está definida desde ontem (segunda-feira) e trata-se da eslovaca Dominika Cibulkova, atualmente no 34.º posto do ranking mas que vale muito mais que isso (já foi número 4 há pouco mais de um ano). As duas tenistas conhecem-se há vários anos e já se defrontaram em seis ocasiões. O embate no Foro Italico desempatará o histórico de confrontos (3-3).

O quadro feminino, que conta com atualizações automáticas, pode ser consultado aqui (e o masculino aqui).

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.