Casper Ruud conformado: “Ele jogou bem e eu ainda estou a tentar encontrar a minha melhor forma”

BRAGA – Pedro Sousa campeão, Casper Ruud finalista vencido. Assim terminou o Braga Open 2018, a primeira edição do torneio Challenger ATP que a Federação Portuguesa de Ténis e o Clube de Ténis de Braga organizaram.

Frente a frente pela primeira vez na história, português e norueguês perseguiam um objetivo comum — o primeiro título da época — e a final acabou por sorrir ao tenista da casa. Por isso, foi conformado que Casper Ruud falou depois de mais um encontro, o primeiro em que não conseguiu fazer a diferença frente a um adversário.

“Hoje as condições foram um pouco diferentes, porque choveu e o court ficou mais pesado. Não era algo que eu desejasse mas tentei dar o meu melhor ao longo do encontro. Ele começou muito bem e no início eu falhei demasiado, ele tinha mais margem do lado dele, mas fui tentando fazê-lo jogar mais e mais e no segundo set e no início do terceiro senti que tinha a vantagem e o ascendente do momento. Mas depois não consegui dar seguimento com bons serviços ou boas trocas de bolas e ele acabou por conseguir regressar a um bom nível e terminar a jogar bons pontos.”

Conformado com a derrota, o jovem norueguês de apenas 19 anos assinalou ainda que “ele está a jogar bem e eu ainda estou a tentar encontrar a minha melhor forma para estar bem para Paris, que é o grande objetivo para esta época de terra batida.”

Aquela que foi a primeira passagem por Portugal termina, ainda assim, de forma positiva para Casper Ruud, que jogou em Braga a terceira final Challenger da carreira (tem um título, conquistado há dois anos em Sevilha). E se o Lisboa Belém Open ainda passou pelos seus planos, a verdade é que o norueguês acabou por escolher a Alemanha como próximo destino.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."