Elise Mertens perto do top 15; Francisca Jorge e Cláudia Gaspar com novos máximos de carreira

Francisca Jorge óbidos
Fotografia: Cirilo Vale

Decorreram na semana passada os torneios WTA International de Praga e de Rabat, dos quais saíram campeãs Petra Kvitova – que venceu frente a Mihaela Nuzarnescu – e Elise Mertens – que derrotou Ajla Tomljanovic -, respetivamente.

Elise Mertens está a um lugar de atingir o top 15, depois de ter triunfado no torneio de Rabat. A jogadora belga está no 16.º lugar, fruto de uma subida de três posições. Este é um máximo de carreira para Mertens.

Mihaela Buzarnescu, finalista vencida em Praga, logrou uma subida de cinco lugares e fixa esta semana um novo recorde de carreira, o 32.º posto. No top 10 não houve qualquer alteração. Ajla Tomljanovic atingiu a final em Rabat e subiu 25 lugares até à 71.ª posição.

  1. (1) Simona Halep, 8.055 pontos
  2. (2) Caroline Wozniacki, 6.790 pontos
  3. (3) Garbiñe Muguruza, 6.065 pontos
  4. (4) Elina Svitolina, 5.450 pontos
  5. (5) Jelena Ostapenko, 5.273 pontos
  6. (6) Karolina Pliskova, 5.100 pontos
  7. (7) Caroline Garcia, 4.700 pontos
  8. (8) Venus Williams, 4.276 pontos
  9. (9) Sloane Stephens, 3.939 pontos
  10. (10) Petra Kvitova, 3.550 pontos

16. (19) Elise Mertens, 2.520 pontos
32. (37) Mihaela Buzarnescu, 1.393 pontos
71. (96) Ajla Tomljanovic, 860 pontos

Portuguesas:

Do lado nacional há grandes destaques a fazer, quer para o lado positivo, quer para o lado negativo. Começando pelas boas notícias, Francisca Jorge encontra-se num novo máximo de carreira. A tenista de 18 anos está no 705.º posto depois de lograr uma subida de 58 posições, graças à sua boa prestação no Óbidos Ladies Open 3. A vimaranense é a quarta melhor tenista portuguesa no ranking WTA.

Cláudia Gaspar encontra-se nesta semana no 1029.º lugar da hierarquia feminina. A tenista natural de Leiria surge no ranking pela primeira vez desde o dia 3 de junho de 2012. Esta entrada na classificação mundial feminina deve-se à sua também boa prestação no Óbidos Ladies Open 3. A atleta de 23 anos é a quinta melhor portuguesa no ranking.

Do lado menos bom temos a queda de Michelle Larcher de Brito. A número um nacional no ranking WTA saiu do top 500, estando quase a ser apanhada por Inês Murta. A melhor tenista portuguesa de todos os tempos perdeu 41 lugares e está na 520.ª posição.

Inês Murta subiu três postos e está no 617.º lugar, ao passo que Maria João Koehler reentrou no top 700, fruto de uma subida de 35 lugares, e está no 680.º posto. Maria Inês Fonte também tem um novo máximo de carreira (1127.º lugar).

Consulte aqui a classificação das tenistas portuguesas no ranking WTA.

Pedro Cunha
O ténis apareceu na minha vida como apenas mais um desporto mas rapidamente o cheiro das bolas e o pó cor de laranja da terra batida onde pratico tornaram a minha vida melhor. Desde o som das pancadas, ao simples abrir de uma lata nova de bolas, tudo neste desporto tem encanto.