Frances Tiafoe derrota campeão em título e marca encontro na final com João Sousa

Frances----Tiafoe

ESTORIL – Está finalmente completo o alinhamento da final da quarta edição do Millennium Estoril Open. Ao melhor jogador português de todos os tempos, junta-se agora o prodígio norte-americano Frances Tiafoe – número 64 da hierarquia mundial -, que este sábado negou categoricamente as aspirações de Pablo Carreño Busta na revalidação do título de campeão.

Ao mesmo tempo que João Sousa – durante a sua conferência de imprensa após a vitória– confessava o seu desejo em enfrentar o espanhol na final, por este se tratar de um amigo e uma pessoa que admira, no Estádio Millennium, o NextGen natural de Maryland exibia-se a um nível altíssimo contrariando assim as pretensões do número um nacional.

Logo no jogo inaugural obteve o break, mostrando-se determinado a contrariar o teórico favoritismo atribuído ao mais cotado dos tenistas. Sem ceder qualquer ponto de quebra durante o primeiro set, ele próprio se elevou no marcador uma outra vez, fechando confortavelmente a partida.

No segundo e derradeiro set, vira o disco e toca o mesmo. Tiafoe recusa-se a bailar o flamenco de Carreño Busta e entra novamente de rompante, alcançando a quebra ao primeiro jogo.

No resto do confronto, imperou a segurança e a estabilidade do tenista de 19 anos. A imaculada prestação sem proporcionar qualquer ponto de break ao oponente é bastante elucidativa da sua incrível performance. A contenda acabou por se definir pelos parciais de 6-2 e 6-3.

Assim sendo, o número um nacional João Sousa e Frances Tiafoe figuram como os protagonistas de um dos duelos mais importantes de toda a história do ténis português. O encontro está marcado para não antes das 15h30 deste domingo e conta com transmissão televisiva na TVI24.

António Vieira
Natural de Lisboa e licenciado em Gestão, vê no Ténis uma extraordinária modalidade com vasto potencial a ser explorado em Portugal. Tem como principal objetivo a contribuição no seu crescimento partilhando com o Mundo a sua espetacularidade.