Agora sim: João Sousa celebra primeira vitória no Millennium Estoril Open

Joao Sousa V.

O Millennium Estoril Open é, por excelência, a semana mais aguardada do ano para os fãs portugueses, que edição atrás de edição (esta é apenas a 4.ª) têm rumado ao Clube de Ténis do Estoril para ver in loco alguns dos melhores tenistas do mundo, e, claro, o melhor tenista português de sempre, João Sousa.

João Sousa, que com mérito ganhou o cognome de “Conquistador” e que ao longo dos últimos anos tem sido o epicentro de grandes alegrias para o ténis português, dizia na antevisão ao torneio que esta é a “melhor semana do ténis português”.

E, finalmente, ao quarto ano também pode ser a dele. Porque à quarta participação no maior evento tenístico jogado em Portugal, o maior embaixador do ténis nacional além fronteiras conseguiu galvanizar-se no torneio onde todos os tenistas portugueses sonham um dia ser bem-sucedidos.

Se em 2015 saíra derrotado por Rui Machado (227.º), em 2016 por Nicolas Almagro (71.º) e em 2017 por Bjorn Fratangelo (133.º), este ano o número 1 português e 68.º a nível mundial quebrou a malapata frente a um tenista do top 50, mas que é apontado ao top 10 no futuro: o russo Daniil Medvedev (50.º), um jogador com um estilo de jogo peculiar que consegue deixar a cabeça em água a muito boa gente.

João Sousa conseguiu a primeira vitória da carreira no Millennium Estoril Open, ao derrotar um dos jovens mais promissores do circuito

O primeiro set começou com João Sousa algo tenso, mas, paulatinamente, a pressão foi dando lugar a um Sousa mais seguro e confiante, que embalado pelo público que encheu quase por completo o Estádio Millennium evitou que Medvedev saísse na frente do marcador quando serviu a 5-4, resgatando de seguida o set num tie-break de sentido único.

Na segunda partida, o jovem russo procurou reagir, esteve por duas vezes com break de vantagem (3-1 e 4-2), mas Sousa, fazendo jus ao seu espírito combativo e apoiado no seu ténis mais conhecedor nestas superfícies de terra batida, manteve-se focado no que tinha a fazer e impediu que o adversário fugisse no marcador.

Com o resultado em 5-5, e depois de o russo ter anulado dois pontos de break, o pupilo de Frederico Marques não desperdiçou a terceira janela de oportunidade, quebrou o serviço a Medvedev e serviu para selar o triunfo — parciais de 7-6(1) e 7-5, em uma hora e 45 minutos, naquela que foi uma das suas grandes exibições deste ano em terra batida.

Esta vitória há muito esperada do vimaranense no Clube de Ténis do Estoril garante desde já a presença de um tenista português nos quartos de final pela primeira vez na história do torneio. É que nos oitavos de final João Sousa vai medir forças com… Pedro Sousa. E o sonho, para qualquer um deles, está vivo.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.