Nadal manifesta “disponibilidade total” para a Taça Davis

Rafael.Nadal.DC

Como não poderia deixar de ser, Rafael Nadal apareceu determinado neste seu regresso aos courts. Em Valência, onde a seleção espanhola da Taça Davis recebeu e venceu a Alemanha (3-2) rumo às meias-finais, o número 1 mundial assinou duas grandes vitórias (frente a Kohlschreiber e Zverev) e manifestou “disponibilidade total” para continuar a jogar pelo seu país.

“Falei com o Sergi [Bruguera] antes do início da época e dei-lhe conta da minha posição. A minha disponibilidade até ao final do ano é total e o entusiasmo é muito. A próxima eliminatória acontece depois do último Grand Slam [US Open] e isso ajuda. Estas contendas enchem-nos de energia”, afirmou o líder do ranking citado pelo jornal Marca, deixando claro que estará disponível para defrontar a França (14 a 16 de setembro).

Nadal destacou que o embate frente à Alemanha foi o tónico que precisava para reforçar os seus níveis de confiança. “Esta eliminatória foi muito importante para mim, pois deu-me uma injeção de energia positiva ter vencido os dois encontros com resultados contundentes, principalmente diante de um rival direto [Alexander Zverev]. É algo que me vai ajudar a encarar uma parte do ano muito importante”, frisou.

Já sobre a reformulação da Taça Davis, que voltou a estar em cima da mesa de forma mais insistente no passado fim de semana, o esteio da seleção espanhola recordou que “há sempre aspetos positivos e negativos” quando ocorrem mudanças, lamentando contudo que “é uma pena que se perca o fator casa”. Em suma, considera que esta reforma seria “boa mas não perfeita, até porque a perfeição não existe” e que “a competição precisa de sangue novo”.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.