Portugal perde o jogo de pares e fica sem margem de manobra para os encontros de singulares

Muito complicado. Depois do empate na primeira jornada da eliminatória fruto de um triunfo de João Sousa e um desaire de Gastão Elias nos respetivos encontros de singulares, Portugal está pela primeira vez atrás no marcador do confronto frente à Suécia.

A jornada deste sábado teve início com o sempre importante confronto de pares, com João Sousa e Gastão Elias a voltarem a entrar em court no Royal Tennis Hall. A dupla portuguesa não conseguiu superiorizar-se ao par sueco formado por Markus Eriksson e Robert Lindstedt e foi mesmo derrotada por 7-6(6) e 6-2, falhando assim a conquista do terceiro ponto da eliminatória.

Num encontro que começou bastante equilibrado, com ambos os pares a segurarem os seus jogos de serviço ao longo de todo o primeiro set, foi a Suécia que teve a capacidade de ser mais fria nos momentos decisivos do tiebreak, levando a melhor no primeiro set.

No segundo parcial a história do jogo alterou-se, com as primeiras quebras de serviço a caírem para o lado da equipa escandinava logo na fase inicial. Portugal ainda chegou a ameaçar recuperar o break de atraso, mas não o conseguiu fazer, acabando mesmo por perder o seu serviço pela segunda vez, algo que acabou mesmo por comprometer uma eventual recuperação.

Com a derrota no terceiro encontro da eliminatória, Portugal fica sem margem de manobra, estando obrigado a vencer os dois encontros de singulares que ainda se irão realizar este sábado.

Primeiramente, João Sousa vai enfrentar Elias Ymer e em caso de triunfo é a vez de Gastão Elias entrar em campo para defrontar Mikael Ymer, naquele que, a acontecer, será o duelo decisivo do confronto entre as duas seleções.

Francisco Semedo
A tirar a licenciatura em Turismo na Universidade Europeia, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.