Vídeo | Frederico Marques: “Tenho a ambição de ser o melhor treinador do mundo”

Frederico Marques é um dos principais pilares da carreira do melhor jogador português de todos os tempos, João Sousa. O treinador do número um nacional deu uma muito interessante entrevista ao Comité Olímpico de Portugal após a participação do seu pupilo no Australian Open.

Durante essa mesma entrevista, que teve como principal foco a vida profissional do jovem técnico, foram abordados temas como os seus objetivos, como foi passar de jogador para treinador e o que é preciso para chegar ao topo e manter-se lá.

O treinador lisboeta de 31 anos conta que o seu principal objetivo passa por ser o melhor de todos, não esquecendo o trabalho feito com o vimaranense.

“Os desafios e as metas somos nós próprios que os metemos. Eu tenho a ambição de ser o melhor treinador do mundo, tenho esse objetivo. É óbvio que é um sonho, mas tenho objetivos trimestrais, mensais e semanais com o João que passam por torná-lo um jogador mais completo. Eu também quero aproveitar esta oportunidade que o João me está a dar de estar no circuito e aprender com os melhores jogadores e treinadores”, comentou.

Sobre como foi a transição de jogador para treinador e o porquê de a fazer tão precocemente, Frederico Marques não mostra arrependimentos, afirmando que muito cedo percebeu que não chegaria onde queria chegar enquanto jogador, daí a ‘mudança de planos’.

“Sim, voltaria [a fazer tudo de novo]. Vivo a vida de uma maneira muito intensa e cheguei à conclusão que não conseguia alcançar o patamar que queria [como jogador]. A minha paixão é o ténis e tive a felicidade de conhecer pessoas que me ajudaram e que me abriram as portas e me ensinaram um bocadinho”, reiterou, comentando ainda o que mudaria no que toca ao trabalho que fez com João Sousa na fase inicial da carreira.

“Não seria tão duro como fui com ele, mas penso que tenho feito um excelente trabalho com“, declarou.

Entrevista completa:

Francisco Semedo
A tirar a licenciatura em Turismo na Universidade Europeia, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.