del Potro: “É bom sentir que estou num grande momento”

del Potro IW
Fotografia: BNP Paribas Open

Com mais uma exibição extremamente portentosa, Juan Martín del Potro somou o seu sétimo triunfo consecutivo para carimbar o passaporte para os oitavos de final do Masters 1000 de Indian Wells. Em conferência de imprensa após o encontro, o argentino revelou-se satisfeito com a vitória diante de David Ferrer e com o seu atual nível de jogo.

“Estou muito feliz por ter conseguido qualificar-me para os oitavos de final após vencer um grande jogador como o David. O encontro foi bastante complicado. Não quebrei o serviço do meu adversário no início do embate e perdi várias oportunidades de começar ainda melhor o jogo, além de me ter sentido um pouco frustrado pela grande quantidade de pontos de break desaproveitados”, frisou primeiramente o número oito mundial, que desde o torneio de Delray Beach não conhece o sabor da derrota.

Embed from Getty Images

Contudo, e como “a paciência é uma virtude”, del Potro decidiu “esperar por mais oportunidades que acabaram por chegar quase no final do primeiro set, tendo finalmente conseguido quebrar o serviço do David e colocar-me um break acima nessa partida inaugural”. “Em termos de serviço, estou bastante satisfeito já que joguei de forma muito sólida e creio que foi uma arma que me ajudou a ir ao tiebreak e depois a consumar o triunfo”, salientou.

A atravessar um grande momento, a “Torre de Tandil” parece respirar confiança e otimismo em cada novo encontro que realiza. “Só quero continuar a ganhar. É bom sentir que estou num grande momento e confiante cada vez que entro em campo, mas há que ir passo a passo. Nos ‘oitavos’ vou jogar com o [Leonardo] Mayer, um rapaz argentino que está a exibir-se a um grande nível e portanto não será fácil vencê-lo”, considerou antes de antever esse seu próximo embate.

“Não será um jogo nada fácil, pois conhecemo-nos muito bem de treinos que já efetuámos juntos. Treinamos no mesmo clube em Buenos Aires. Crescemos juntos, ganhámos a Taça Davis, partilhamos coisas e tempo. Vai ser um encontro especial para ambos, e sei que se ele estiver num bom dia, pode ser um oponente muito perigoso uma vez que neste tipo de superfícies pode mostrar o seu melhor nível. Ele pode bater bolas muito chapadas e os seus serviços são suficientemente bons para sair com a vitória no embate comigo ou com qualquer outro jogador nesta série de torneios nos EUA”, terminou del Potro.

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 3.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante e seguidor de ténis desde a adolescência.