Daria Kasatkina completa “circulo” de vitórias frente a campeãs do Grand Slam

Daria Kasatkina
Sete meses bastaram para que Daria Kasatkina derrotasse todas as atuais campeãs de torneios do Grand Slam

Se há efeito imediato numa nova campeã de um torneio do Grand Slam, será certamente os olhos com que as futuras adversárias a encaram a partir daí. Mas para Daria Kasatkina isso não parece ser um problema: com a vitória desta madrugada, a tenista russa completou o “circulo” de triunfos frente a todas as atuais campeãs de Majors.

Com apenas 20 anos, a tenista russa já joga como se estivesse no circuito há uma década. E Sloane Stephens que o diga. A jogar em casa, a campeã da última edição do US Open não conseguiu contrariar o ténis da número 19 mundial, que assim a superou por 6-4 e 6-3 para chegar aos oitavos de final do Premier Mandatory de Indian Wells.

A vitória sobre Stephens traduz-se na 4.ª de Daria Kasatkina em 2018 sobre jogadoras do top 20 mundial. Antes, já tinha levado a melhor sobre Johanna Konta, Garbiñe Muguruza e Caroline Wozniacki.

E agora reparemos nos nomes, porque é aqui que se cria mais um registo muito impressionante da parte da tenista natural de Togliatty, na Rússia: só em 2018, Kasatkina já derrotou três das atuais campeãs de torneios do Grand Slam, um ciclo que fica aliás completo tendo em conta que em setembro último já tinha batido Jelena Ostapenko no US Open. No fundo, sete meses bastaram para que todas conhecessem o sabor da derrota frente àquela que é uma das tenistas mais talentosas da nova geração.

Na próxima ronda, pode voltar a repetir uma dessas vitórias: Caroline Wozniacki é a sua próxima adversária, e se é verdade que a campeã em título do Australian Open está em alerta desde que cedeu perante a russa em São Peterbsurgo, no seu primeiro torneio como vencedora de um Major, também o é que na última ronda, frente a Aliaksandra Sasnovich, não deixou bons indícios.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."