Portugal 1-2 Estónia: equipa portuguesa vai ter de lutar pela manutenção no play-off

Portugal Fed Cup 2018

Complicam-se as contas de Portugal em Tallinn: Francisca Jorge e Maria João Koehler foram esta quinta-feira derrotadas no encontro de pares, o que significa que é a Estónia quem fica com a vitória nesta segunda jornada da Pool B, empurrando a seleção portuguesa para o play-off de relegação no Grupo 1 da Fed Cup.

Depois de, na jornada inaugural, ter perdido para a super-favorita Grã-Bretanha, a equipa das quinas precisava de uma vitória frente à seleção da casa para ainda poder cumprir com o principal objetivo à chegada a Tallinn, a manutenção, na fase de grupos. Mas para isso Francisca Jorge (que horas antes se estreara a vencer encontros de singulares por Portugal) e Maria João Koehler tinham de vencer o par.

Tal como as portuguesas, Anett Kontaveit (a número 27 do mundo) e Saara Orav (que tem 16 anos e jogou pela primeira vez na competição) precisavam de vencer para dar um ponto à sua seleção e foram mesmo elas quem abandonaram o court a sorrir: ao fim de 1h47, as tenistas da casa consumaram o triunfo por 7-6(0) e 7-6(6) depois de estarem a perder por um break em cada um dos parciais.

Com este resultado, Portugal perde pela segunda vez na Pool B, o que significa que fica no terceiro e último lugar do grupo. Ou seja, a equipa liderada pela capitã Neuza Silva terá, agora, de jogar o play-off de relegação, onde só a vitória evita a descida de divisão.

Esta sexta-feira, dia de descanso ,será também de análise à próxima adversária da seleção nacional, que será a equipa que ficar em último lugar na Pool C, composta por Suécia, Croácia, Hungria e Eslovénia.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."