Portugal 0-1 Grã-Bretanha: Francisca Jorge ainda assustou Heather Watson na estreia em singulares

Francisca Jorge
Aos 17 anos, Francisca Jorge estreou-se esta quarta-feira em encontros de singulares na Fed Cup

Está concluído o primeiro encontro entre Portugal e Grã-Bretanha, relativo à jornada 1 da Pool B do Grupo 1 da zona Euro-Africana da Fed Cup. Confuso? É natural. Comecemos então a descomplicar: Francisca Jorge perdeu por 6-4 e 6-2 para Heather Watson, que assim coloca as favoritas a vencer por 1-0 num embate em que se jogam três encontros.

A seleção portuguesa da Fed Cup está em Tallinn a jogar o Grupo 1 da competição, no qual 14 seleções se dividem em quatro grupos. Ao fim de três dias, as quatro primeiras classificadas vão competir entre si por dois lugares de apuramento para a “divisão” superior e, no sentido inverso, as quatro últimas classificadas para evitar os dois lugares de despromoção.

Desses quatro grupos, o de Portugal é a Pool B, onde também estão Grã-Bretanha e Estónia, e as britânicas são as primeiras adversárias. Claramente favoritas, escolheram Heather Watson (número 74 mundial) para o primeiro encontro e a verdade é que a jovem Francisca Jorge, de apenas 17 anos e 796.ª no ranking WTA, ainda assustou, ao quebrar primeiro para “agarrar” uma vantagem de 3-0 no set inaugural.

Depois foi, no entanto, uma questão de tempo até à tenista de 25 anos encontrar o ritmo que faz dela uma das 80 melhores jogadoras do mundo, fazendo uso da experiência para travar o excelente arranque da vimaranense, que jogou pela primeira vez na carreira um encontro de singulares na Fed Cup.

Terminado o primeiro encontro do dia, Portugal está obrigado a vencer os restantes dois duelos para ficar com a vitória frente à Grã-Bretanha, mas tem pela frente uma tarefa muito difícil: Maria João Koehler, que celebra o 10.º aniversário da sua estreia na competição, enfrenta Johanna Konta, a número 11 do mundo. E a esse encontro segue-se o de pares, onde a vimaranense e a portuense terão como adversárias Katie Boulter e Anna Smith.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."