Final masculina do Australian Open: as duas dezenas de Federer ou a história de Cilic

Roger Federer e Marin Cilic

Nova Iorque, Londres, Praga, Maldivas e, agora, Melbourne. Os caminhos de dois tenistas cruzam-se por inúmeras vezes e nas mais variadas cidades e países e, no caso de Roger Federer e Marin Cilic, estas são algumas delas. Este domingo, os dois estarão frente a frente na grande final do Australian Open 2018 e há muito em jogo. Quer para um, quer para o outro. O quê? Como? Porquê? Estas são as perguntas a que procuramos responder.

Quando estiverem frente a frente na Rod Laver Arena, um dos maiores palcos do mundo, o suíço e croata deixarão de fora a ligação que têm vindo a estabelecer fora do court. Em foco estará, única e exclusivamente, o encontro. Porque o campeão em título Roger Federer se pode tornar no primeiro tenista da história a conquistar 20 títulos do Grand Slam (já nem estamos a falar da Era Open) no circuito masculino e Marin Cilic tenta tornar-se no primeiro jogador croata a vencer o Australian Open.

Mas afinal, o que têm as Maldivas, um pequeno país paradisíaco, a ver com cidades tão relevantes no universo tenístico? Pouco, a não ser o facto de serem um dos destinos mais escolhidos pelos jogadores para uns dias de repouso entre temporadas e, por coincidência, o palco das férias quer de um, quer de outro no passado mês de novembro. E porque lá se cruzaram, lá se reuniram: como contou em entrevista e, mais tarde, conferência de imprensa Roger Federer, os dois aproveitaram o tempo nas Maldivas para se conhecerem um pouco melhor e até trocarem algumas bolas “sem treinadores, sem nada. Só os dois a relaxar e a conhecermo-nos um pouco melhor.”

Bom, mas voltemos a Melbourne: dizíamos nós que este domingo Roger Federer e Marin Cilic medem forças na final do Australian Open. Agora que já se conhecem — antes das Maldivas já tinham sido da mesma equipa na Laver Cup, que ajudou a fortalecer o espírito de “companheirismo” entre jogadores europeus e do resto do mundo — há que fazer um reset e preparar o 10.º duelo. Por falar em números, a história joga a favor do suíço: Federer venceu 8 dos 9 encontros disputados entre ambos até à data.

Mas a favor de Cilic (e certamente na memória de ambos) há *aquela* vitória nas meias-finais do US Open de 2014, por 6-3, 6-4 e 6-4 para chegar à final e, mais tarde, conquistar o título. É um “pequeno” apontamento tendo em conta a dimensão entre ambos mas que contará certamente na hora de entrar em campo (mais até do que a vitória conseguida por Roger Federer há cerca de seis meses, numa final de Wimbledon algo manchada pelas dificuldades físicas e psicológicas apresentadas pelo croata).

Mais, só saberemos depois do encontro começar. Já sabe: Roger Federer vs. Marin Cilic pelo título de campeão do Australian Open 2018, este domingo (28 de janeiro) às 8h30 com transmissão no Eurosport.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."