Wawrinka decidiu este sábado que vai jogar o Australian Open: “É o melhor com que podia ter sonhado”

Stan Wawrinka
Título em 2014 "despertou" o helvético para novas conquistas

De Melbourne chegam boas notícias: depois de Rafael NadalNovak Djokovic, também Stan Wawrinka confirmou que vai a jogo no Australian Open 2018. O campeão de há quatro anos está longe da sua melhor forma mas diz que este cenário “é o melhor com que podia ter sonhado depois de ter sido operado.”

Sem jogar desde a primeira ronda de Wimbledon, o número 9 do mundo aderiu ao Media Day do primeiro Grand Slam do ano e atualizou os jornalistas sobre a sua condição, fazendo ainda algumas revelações. “Tem sido difícil, muito difícil, voltar a condições em que possa voltar a jogar mas aos poucos estou a sentir-me melhor e a chegar lá.”

“Vir treinar uma semana sem saber se ia estar pronto a jogar ou não foi uma decisão de última hora e acho que foi a correta para ‘pôr’ o meu joelho um pouco melhor”, revelou ainda o helvético de 32 anos, que reconhece que “estar aqui em frente a vocês e a dizer que estou pronto a jogar é uma grande, grande vitória. É o melhor com que podia ter sonhado depois de ter sido operado.”

Com “muito trabalho físico e também em termos de ténis pela frente para chegar ao meu melhor ténis”, Stan Wawrinka sabe que “vai demorar algum tempo mas tenho de começar nalgum lado e este é um bom sítio para começar e ver como vou reagir e sentir-me quando estiver a disputar encontros.”

Para esta semana, o ex-número 3 mundial tinha marcada presença no Tie Break Tens, que se jogou na quarta-feira na Margaret Court Arena, e esclareceu a ausência: “Desisti porque não estava de maneira nenhuma pronto para jogar. Não dá para comparar os dois eventos: num super tiebreak [o formato em que se jogava naquela noite] tens de estar pronto para pontos que vão ser sempre muito curtos e decisivos e eu não estava nada pronto para isso.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."