Para Simona Halep, “não muda nada eu ser número um, dois ou três. Não sinto pressão extra”

Simona Halep
Fotografia: Elizabeth Bai/Tennis Australia

Simona Halep entra no Australian Open de 2018 como líder mundial, mas a tentar esquecer os fantasmas do passado. A tenista romena caiu na estreia do torneio australiano nas últimas duas temporadas e não quererá, certamente, repetir o resultado.

Quanto a problemas por ser a número um mundial à entrada de um Major? Isso, Simona Halep não parece ter: “Ser número um é especial para mim. É bom estar nesta posição, para a minha experiência, para tudo. É mesmo muito bom.”

Duas vezes finalista de torneios do Grand Slam, Halep afirma, aliás, não se sentir mais pressionada nesta edição: “Não sinto pressão. Sinto-me bem e em forma. Estou pronta para começar. É sempre duro, cada encontro de um Grand Slam. Não muda nada eu ser número um, dois ou três. Quero começar o torneio e dar o meu melhor”.

Tenho mais um grande objetivo: ganhar um Grand Slam. Mas agora estou focada no meu jogo. Quero muito melhorar e corrigir o que fiz menos bem”, concluiu a pupila de Darren Cahill.

Simona Halep irá estrear-se no primeiro Grand Slam da temporada frente a uma tenista da casa, Destanee Aiava. A australiana tem apenas 17 anos e, ocupando a posição número 153 do ranking WTA, foi merecedora de um convite da organização para disputar o quadro principal.

raquetc
O Raquetc ("raquetecetera") entrou no forno no início do ano para a 8 de maio de 2017 substituir o Ténis Portugal. Porque ao ténis juntaram-se o padel, o squash e o ténis de mesa e assim nasceu um website especializado em desportos de raquetes.