Com um novo máximo de torneios, 2018 será um ano inédito na história do ténis em Portugal

Bom Sucesso Tennis Academy Obidos

O ano de 2018 ainda não começou e já se sabe que vai ser histórico para o ténis português: segundo Vasco Costa, Presidente da Federação Portuguesa de Ténis, vão ser organizadas quatro dezenas de torneios internacionais em solo português — um recorde absoluto.

Presente no Clube de Ténis do Estoril para acompanhar in loco o dia decisivo do Masters do Circuito Juvenil, o presidente da Federação Portuguesa de Ténis contou ao RAQUETC que “vamos ter cerca de 40 torneios internacionais em Portugal no próximo ano. A nossa estimativa é essa, cerca 20 masculinos e 20 femininos“.

Entre eles, um torneio ATP 250 (o Millennium Estoril Open, que aliás se joga no clube que este fim de semana é palco do Masters Juvenil) e dois Challenger ATP (o Lisboa Belém Open, que arrancou este ano no CIF, e um novo evento em Braga).

Os 40 torneios internacionais previstos para a próxima temporada traduzem-se num recorde absoluto para Portugal e a Federação Portuguesa de Ténis, que em 2017 já tinha organizado 35 provas.

Óbidos. Um caso sem igual na história do ténis em Portugal

Ora, se a nível nacional o próximo ano se prepara para ser histórico, também em Óbidos será escrito um capítulo dourado. Depois de se estrear na organização de provas ITF em 2017, com a realização de cinco torneios, a Bom Sucesso Tennis Academy vai dar um passo inédito.

Como contou Nuno Mota, o diretor geral da academia, ao RAQUETC neste sábado, “em 2018 vamos organizar nove torneios internacionais de 25.000 dólares em Óbidos”, um número que se traduz num caso sem igual na história do ténis em Portugal. E, também, num total de 225.000 dólares em prémios monetários.

Na nova época, as provas estarão distribuídas de forma diferente: serão três grupos de três torneios de 25.000 dólares. A primeira “série” arranca a 9 de abril, um mês mais tarde “para beneficiarmos da mudança de hora, que traz mais luz”; a segunda, a 28 de maio; e a terceira a 24 de setembro, mais cedo do que este ano também por causa das condições climatéricas.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."