Bela e Lima terminam a temporada com a conquista do único título que lhes faltava

Fernando Bela Belasteguín e Pablo Lima
Brasileiro e argentino conquistaram, em Madrid, o único grande título que faltava ao seu palmarés enquanto equipa

Terminou este domingo mais uma temporada do World Padel Tour. E com um final feliz para a dupla mais cotada dos últimos anos, composta pelo argentino Fernando “Bela” Belasteguín e o brasileiro Pablo Lima. Na variante feminina, o título ficou a cargo de Marta Ortega e Ariana Sánchez.

Primeiros candidatos ao título, Bela e Lima fecharam 2017 com chave de ouro ao derrotarem Matías Díaz e Maximiliano Sánchez, por 6-3 e 6-2. A final entrou para a história por contar com 6.000 espetadores nas bancadas do complexo de Madrid que acolheu esta edição do Estrella Damm Master Final 2017.

Já os segundos cabeças de série, Paquito Navarro e Carlos Gutiérrez, ficaram-se pelas meias-finais, ao perderem com Miguel Lamperti e Juan Mieres por equilibrados 7-5, 3-6 e 6-3.

TÍTULO ENTRE IRMÃS

Maria José Sánchez Alayeto e Maria Pilar Sánchez Alayeto
Irmãs espanholas consolidam ainda mais a primeira posição que ocupam no ranking

O quadro feminino foi igualmente ganho pelas líderes do ranking, as irmãs Maria José Sánchez Alayeto e Maria Pilar Sánchez Alayeto, que derrotaram Ariana Sánchez Fallada e Marta Ortega Gallego por 7-5 e 7-5 para ficarem com o troféu.

A edição de 2017 do World Padel Tour entrou para a história do padel português por ter contado com a presença de uma representante nacional, Ana Catarina Nogueira. A portuense não chegou a competir mas esteve em Madrid como alternate juntamente com a sua parceira, Valeria Pavón.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."