Francisco Franco Dias: “Quero estar no top 500 no fim de 2018”

FranciscoFrancoDias 123

Francisco Franco Dias terminou recentemente a época de 2017, depois de um périplo de torneios jogados nos EUA e no México, onde somou algumas boas vitórias, mas, acima de tudo, fez aquilo com que sonhou desde tenra idade: jogar ténis.

Em declarações exclusivas ao RAQUETC, o tenista português de 25 anos que se encontra a residir em Nova Iorque falou destas últimas semanas de competição, deu conta do grande objetivo para 2018 e abordou o profissionalismo.

“Estas últimas semanas de competição foram especiais. Exibi-me a um nível alto, ganhei um elevado número de jogos e tive vitórias que me deram muita confiança para continuar. Comecei a jogar Futures de novo em junho, no circuito de verão americano que é muito forte”, afirmou.

Francisco Dias somou duas vitórias em quadros principais e mostrou-se naturalmente satisfeito por voltar a ver o seu nome na classificação mundial. “Mentalmente, entrar com muitas derrotas e quase sem possibilidades de chegar ao quadro principal foi difícil. Estes dois pontos e voltar ao ranking sabe bem”, sublinhou o antigo 954.º da hierarquia (setembro de 2011).

O facto de ter disputado o circuito universitário contribuiu e muito na transição para um circuito Future cada vez mais competitivo. “O circuito universitário está igualmente a ficar cada vez mais competitivo, com mais jogadores a terminarem os seus respectivos cursos já com pontos ATP. Acho que me preparou bem em termos mentais, é um estilo de vida diferente, difícil, mas muito recompensador”, salientou.

O objetivo para a próxima época, cuja preparação deve começar para a semana, conta-nos, é “estar no top 500 no fim de 2018” e quem sabe prosseguir a carreira profissional. Mas, para isso, os patrocínios são essenciais. “Full time pelo menos mais um ano. Se houver patrocínios e se houver capacidades e margem de evolução no final de 2018, continuarei. Desde os 12 anos que o sonho era viver esta vida, portanto vou tentar mantê-la o máximo de tempo que conseguir”, assegurou.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.