Final de Wimbledon de 2018 arrisca-se a ser uma das menos vistas dos últimos anos

Fotografia: AELTC/Thomas Lovelock

Segundo adianta o The Times, a final masculina da edição de 2018 de Wimbledon (2 a 15 de julho) e a final do Campeonato do Mundo de Futebol (14 de junho a 15 de julho) deverão coincidir no mesmo horário, fazendo com que muito possivelmente a final do torneio londrino tenha uma quebra significativa nas audiências em todo o mundo.

Pela terceira vez na história ambas as finais serão disputadas no mesmo dia (a de 2018 está marcada para 15 de julho), no entanto desta vez é altamente provável que ambas coincidam no mesmo horário. Ao contrário do que se sucedeu nos anos de 1990 e 2006 em que a final de Wimbledon terminou muito antes do início da final do Mundial, a final de 2018 está marcada para as 14h, duas horas antes do início da final Mundial.

Sabendo que apenas por duas vezes nos últimos 20 anos a final teve menos de 1h50 de duração (já descontado o tempo de entrada em court e aquecimento), a situação não se adivinha fácil para os canais que terão os direitos televisivos.

A BBC, responsável pela transmissão na Grã-Bretanha, será obrigada a transmitir a final do All England Club no canal 2, pois o canal 1 está reservado para o derradeiro encontro do Mundial. O canal tentou alterar a hora da final londrina para uma hora antes, mas os responsáveis do terceiro Grand Slam da temporada não estão dispostos a antecipá-la.

Quem sairá prejudicado será claramente o ténis, pois a Final do Campeonato do Mundo de Futebol acabará por levar sempre a melhor nas escolhas dos telespetadores, devido à popularidade do desporto e do momento em si.

Comparando a final do Europeu de 2016 entre Portugal e França e a final de Wimbledon do mesmo ano que opôs Andy Murray a Milos Raonic, foi o futebol que levou a melhor. Este dado acaba por provar que mesmo que a equipa inglesa não jogue a final, a perda de audiência acontecerá sempre.

Francisco Semedo
A tirar a licenciatura em Turismo na Universidade Europeia, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.