Super-favorita Espanha ganha título a Portugal na competição por equipas femininas

Fotografia: Fernando Correia/Smash Padel

ESTORIL – Era, inevitavelmente, a grande favorita e confirmou-o na final: a Espanha derrotou Portugal, por 2-0, e sagrou-se campeã da Europa por equipas femininas no torneio que este sábado chega ao fim no Clube de Ténis do Estoril.

A jogar em casa, a seleção portuguesa procurava a revalidação do título conquistado em 2015 mas sabia que pela frente tinha a difícil tarefa de contrariar o “super-favoritismo” da equipa visitante, que tinha aberto o dia com as conquistas do europeu em pares — numa das finais, inclusive, frente a uma dupla portuguesa.

E se é verdade que o fator casa podia ter influência, também o é que a Espanha ainda é bastante superior — basta dizer que no top 50 mundial só 9 jogadoras não são espanholas. Realidade essa que foi colocada em evidência logo nos instantes iniciais e que não conseguiu ser evitada pela equipa portuguesa.

No primeiro encontro, Sofia Araújo e Kátia Rodrigues ofereceram muita resistência e estiveram perto de igualar a contenda, mas acabaram derrotadas por Teresa Navarro e Victoria Iglesias (6-1 e 7-6[5]). A esse encontro seguiu-se a reedição da final de pares que abriu a jornada, com Marta OrtegaAriana Sanchez a derrotarem novamente Ana Catarina Nogueira e Filipa Mendonça, desta feita com os parciais de 6-2 e 6-3.

As duas primeiras finais do dia estão perdidas, mas Portugal ainda pode fechar o Campeonato da Europa de Padel de 2017 com um título. Para isso, a seleção masculina terá de derrotar a novamente super-favorita Espanha na final, que está marcada para as 17h30.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."