Maria João Koehler: “Não tendo jogado bem acho que me superei a nível mental”

BELOURA – Depois de seis títulos de campeã, Maria João Koehler perdeu este domingo pela primeira vez na final de singulares de um Campeonato Nacional Absoluto. Em conferência de imprensa, a portuense analisou o encontro e teceu elogios à adversária.

Sobre a final com Francisca Jorge, Maria João Koehler disse que “ela jogou melhor do que eu. Acho que não foi só neste jogo, nunca consegui jogar muito ténis e estou convicta de que desde a primeira ronda não consegui produzir o ténis que queria e sabia que se hoje não jogasse bem era extremamente difícil. Não joguei bem e ela mereceu ganhar porque jogou melhor do que eu.”

Em conferência de imprensa após a final, Koehler disse ainda que “não tendo jogado bem acho que me superei a nível mental porque sinceramente achava que nesse sentido não ia estar apta para jogar.” Nesse sentido, a ex-número 1 mundial vai agora aproveitar para descansar e começar a pensar na sua próxima equipa técnica e, depois, a planear a temporada de 2018.

No final da conversa com os jornalistas, a vice-campeã nacional absoluta deixou ainda elogios ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela equipa do Centro de Alto Rendimento (CAR): “Acho que o CAR agarrou em miúdas muito boas. Também gostei muito da Maria Inês Fonte, que não conhecia tão bem, e acho que estão no bom caminho. São lutadoras e têm margem de progressão.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."