Simona Halep falha meias-finais em Singapura e fica com o número 1 em risco

Foi com uma vitória sobre a número 1 mundial que Elina Svitolina se despediu da temporada de 2017. A tenista ucraniana falhou o apuramento para as meias-finais do WTA Finals, mas conseguiu surpreender a romena Simona Halep para terminar a época com nota positiva. Este resultado tem implicações fortes para a líder do ranking, que também não estará nas meias-finais e fica com a liderança da hierarquia em risco.

Depois da vitória de Caroline Garcia frente a Caroline Wozniacki, a ucraniana Elina Svitolina sabia que já nenhum resultado a podia salvar, mas para Halep ainda havia esperanças: à líder do ranking WTA bastava uma vitória para terminar o grupo no segundo lugar.

Só que hoje não era o dia da romena, que não conseguiu encontrar forma de superar a número 4 mundial e acabou afastada da prova com uma derrota em apenas dois parciais (6-3 e 6-4). No final, Svitolina procurou arranjar palavras para justificar a grande exibição: “Não tinha nada a perder. Estava a jogar para os meus pais e para as pessoas que me têm acompanhado a semana toda. Tive muito apoio, muitas bandeiras ucranianas, o que é algo que não acontece sempre.”

Certo é que o resultado acabou por não ter influência para a ucraniana — ou pelo menos não no papel, dado que é sempre importante terminar o ano a ganhar (ainda mais à número 1). Já para a romena… Simona Halep falha assim as meias-finais do “Masters” do circuito feminino e fica com o número 1 em risco, isto porque Karolina Pliskova passa a só depender de si mesma para recuperar a posição. Para isso, a checa terá de se sagrar campeã em Singapura.

Quem mais agradece é, no fundo, Caroline Garcia. A francesa que este ano se estreia no torneio e que se tem dado para lá de bem em solo asiático: foi campeã em Wuhan e em Pequim e agora está nas meias-finais em Singapura, depois de um dia “frenético” no qual só foi possível apurar-se porque o começou com uma vitória frente à já apurada Caroline Wozniacki, por 0-6, 6-3 e 7-5.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."