Depois de Rita Pinto, também Francisca Jorge não resistiu ao ténis da britânica Katie Boulter

Não é por acaso que Katie Boulter é vista como um dos maiores talentos e promessas do ténis britânico: aos 21 anos, continua a realizar um percurso evolutivo merecedor de destaque e em Óbidos está uma vez mais a conseguir excelentes resultados. Esta quinta-feira, derrotou Francisca Jorge para chegar aos quartos de final do Bom Sucesso Ladies Open 5.

Número 222 do ranking mundial, Boulter (que é natural da cidade de Leicester) ainda só conta com três títulos internacionais no currículo, mas em 2017 já venceu um torneio de 15.000 dólares e chegou à final de um de 25.000 e outro de 60.000, em que só perdeu para a compatriota e amiga Laura Robson.

Mais do que esta ou outra fase, tem-se destacado pela consistência que apresenta e a forma como se consegue exibir frente a jogadoras do mesmo nível e até superior. Exemplo disso foi o triunfo obtido há menos de uma semana, já em Óbidos, quando derrotou Viktoria Kuzmova (número 132 do mundo) para chegar às meias-finais.

E esta quinta-feira a jovem britânica voltou a dar provas disso mesmo, não dando hipóteses à portuguesa Francisca Jorge (que ultrapassou a fase de qualificação e ontem venceu a primeira etapa para igualar o melhor resultado da carreira nestes torneios), que venceu por 6-0 e 6-3 em exatos 60 minutos já depois de ontem ter batido Rita Pinto por claros 6-0 e 6-0.

Katie Boulter já está noutro patamar e a chegar a uma fase em que disputar finais é e deve ser o objetivo. Amanhã, sexta-feira, terá mais um desafio, ou frente à francesa Mathilde Armitano ou a russa Anastasia Pivorarova.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."