Nuria Parrizas-Diaz é a nova campeã do Lisboa Women’s Open

LISBOA – Depois de oito dias de ténis e padel intensivo, o Lisboa Racket Centre era, este domingo, palco de um dia de finais que mereciam a maior das atenções e a decisão de singulares do torneio internacional de ténis não era exceção: frente a frente estiveram a primeira (Nuria Parrizas-Diaz) e a quarta (Romy Koelzer) cabeças de série, e no final foi a espanhola quem se despediu do pitoresco palco lisboeta com memórias mais felizes.

Só pecando pela ausência de uma portuguesa — presença essa que esteve perto de acontecer, com Maria João Koehler a ser derrotada nas meias-finais ao cabo de três longos parciais –, a final de singulares prometia proporcionar um bom espetáculo e não defraudou as expetativas.

Na verdade, se se podia pensar que, atendendo aos dois palmarés, seria a jogadora espanhola a entrar melhor no encontro, foi, pelo contrário, Koelzer quem entrou muito ‘solta’ e, talvez talvez pensando não ter nada a perder, conseguiu criar a primeira ‘moça’. Com cada vez mais confiança, a germânica (número 556 mundial) continuou a superar barreiras e a criar dificuldades ao jogo de Parrizas-Diaz, vencendo mesmo o primeiro set.

No segundo parcial, uma quebra de ritmo de ambas as jogadoras ditou um break para cada lado nos dois primeiros jogos. A uma sequência considerável de jogos de serviço ganhos pelas respetivas servidoras seguiu-se, já na fase decisiva do parcial, nova troca de breaks, só que a partir daí foi a jogadora espanhola quem conseguiu ser eficaz em mais momentos importantes para chegar à igualdade no marcador.

Porque uma boa final não fica decidida antes do último ponto, Koelzer não se deu por vencida quando o placar apontou 5-2 a favor de Parrizas-Diaz no derradeiro parcial e continuou a lutar. Nas bancadas, juntavam-se cada vez mais espetadores que queriam acompanhar de perto um final de encontro emocionante e no final saíram com toda a certeza satisfeitos, dado que a germânica ainda recuperou de dois breaks para forçar a mais cotada das duas jogadoras a “tempo-extra”. Mais de duas horas depois do começo, o triunfo para Nuria Parrizas-Diaz lá chegou, com os parciais de 2-6, 7-5 e 7-5.

Conseguida a vitória, Nuria Parrizas-Diaz pode agora respirar de alívio e juntar o troféu de campeã do Lisboa Women’s Open 2017 a outros 12 que detém em singulares (e ainda 2 em pares, um dos quais em Amarantes), entre eles um em Óbidos já este ano. E por falar em Óbidos, Romy Koelzer ainda vai ter de viajar para o Distrito de Leiria para disputar a segunda ronda do qualifying do Bom Sucesso Ladies Open 3 este domingo.

FINAL do II Lisboa Women's Open em DIRETO do Lisboa Racket Centre: Nuria Parrizas-Diaz vs. Romy Koelzer

Publicado por Raquetc em Domingo, 8 de Outubro de 2017

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."