Fernando Belasteguín e Pablo Lima conquistam o Portugal Padel Masters no Jamor

Fernando Belasteguín e Pablo Lima. São eles os líderes do ranking mundial, são eles os primeiros campeões do Portugal Padel Masters 2017, a primeira edição do torneio organizado por João Lagos e o terceiro de três torneios de categoria Masters a integrarem o calendário do World Padel Tour.

À entrada para a final deste domingo, que viu mais de 2.000 espetadores esgotarem o court central montado no Estádio de Honra do Jamor, as expetativas eram muitas. Afinal, em campo iam estar as duas melhores duplas da atualidade, que é como quem diz, os quatro melhores jogadores de padel do mundo: a Belasteguín e Lima opunham-se Paquito Navarro e Sanyo Gutierrez.

E a verdade é que a final não desiludiu, com três parciais a serem necessários para se encontrar a primeira dupla campeã do Portugal Padel Masters, o maior torneio de padel organizado em solo português. O jogo, que se dividiu em três fases distintas, terminou tal como começou, com Belasteguín e Lima, os primeiros classificados, por cima e a vencerem, com parciais de 6-2, 1-6 e 6-1 frente ao espanhol e o argentino, que eram os líderes de títulos na presente temporada até perderem a final.

Os altos e baixos no marcador significaram, na verdade, alternâncias no domínio de cada uma das equipas, com o argentino e o brasileiro a conseguirem ser mais consistentes para celebrarem a vitória num torneio pela quarta vez em 2017 — registo que lhes permite igualar os adversários.

Com a conclusão da final fica encerrada a edição inaugural do Portugal Padel Masters, que viu cerca de 4.000 espetadores aderirem em massa aos dois últimos dias do evento para preencherem por completo as bancadas do palco principal.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."