João Lagos justifica ausência de wild card para Diogo Rocha como “uma questão estratégica”

0
Fotografia: Padel Wall

Depois da mensagem publicada por Diogo Rocha nas redes sociais, foi a vez de João Lagos se pronunciar sobre a decisão que viu o número 1 nacional ter de disputar a fase de qualificação do Portugal Padel Masters.

Num comunicado enviado à imprensa esta quarta-feira, juntamente com informações sobre o sorteio que se realizou, o diretor do torneio fala numa “questão estratégica” como a razão pela qual entregou o único convite para o quadro principal a Miguel Oliveira (90.º no ranking mundial, que jogará com o brasileiro Lucas Silveira da Cunha) e não Diogo Rocha (64.º e melhor padelista português de sempre, que alinha com Antonio Luque).

Nas palavras de João Lagos, “a probabilidade de ter dois jogadores portugueses no quadro é maior entregando o wild card a Miguel Oliveira, uma vez que o Diogo tem, mais do que qualquer outro, grandes possibilidades de vencer os encontros da prévia e qualificar-se, como já aconteceu mais que uma vez no passado. Quem não recebe wild card fica triste, mas eu também fico triste por não ter mais wild cards para portugueses.”

Desta forma, o diretor daquele que é um dos quatro torneios mais importantes do circuito mundial de padel espera conseguir “proporcionar ao público mais dias com encontros disputados por representantes da armada nacional”.

Recorde-se que o quadro principal do Portugal Padel Masters conta com 32 duplas (27 apuradas pelo ranking + 1 wild card e 4 oriundas da prévia) e começa a jogar-se na terça-feira. Já a prévia, só começará depois da pré-prévia se jogar no Indoor Padel Center, onde estarão outros 15 pares com padelistas portugueses.

Quanto a Diogo Rocha e Antonio Luque, que são cabeças de série da prévia, têm estreia assegurada já no Jamor, às 13h de segunda-feira, dia 18.

Comentários

Comentários