Carlos Moya: “É uma final do Grand Slam e quem disser que não tem nada a perder está a mentir”

0

É já este domingo que Rafael Nadal vai lutar pelo 16.º título da carreira em torneios do Grand Slam. Carlos Moya, técnico do número um mundial, esteve à conversa com o El Español, onde falou do jogo desta noite frente a Kevin Anderson, um adversário contra quem não espera facilidades.

“Muitas vezes o encontro depende do Nadal, mas a verdade é que o Anderson vai tentar dar pouco ritmo, impor o seu estilo e tentar que os pontos sejam curtos. Teoricamente o Rafa é o favorito, por isso é o número um. No entanto numa final não há favoritos”, começou por dizer.

“Estive a ver o Anderson jogar contra o Carreño e o nível do serviço está incrível e as suas pancadas também. É um adversário muito perigoso porque sabes que terás poucas hipóteses de lhe quebrar o serviço”, perspetivou o antigo número um mundial.

Apesar do historial que Rafael Nadal tem e do estatuto que defende em Flushing Meadows, Carlos Moya afirma que o maiorquino tem a consciência que o jogo está muito longe de estar ganho: “o Rafa sabe que o encontro não está ganho. Nesse aspeto não temos de fazer nenhum trabalho especial pois ele respeita sempre os adversários”, afirmou, afastando ainda a teoria que poderia haver de Kevin Anderson entrar em court sem ter nada a perder.

“É uma final do Grand Slam e quem disser que não tem nada a perder está a mentir. Há muito a ganhar e muito a perder, mas são estes desafios que te motivam. É por isso que ele continua a jogar ténis, para ganhar grandes coisas”, concluiu.

Comentários

Comentários