Fred Gil volta a brilhar e vai lutar pelo título de campeão na Beloura

BELOURA – Está encontrado o primeiro finalista de singulares do BTA Futures 2 e é português: Fred Gil, ex-número 1 nacional, somou este sábado a terceira vitória da semana frente a um cabeça de série para se apurar para a final do segundo torneio internacional organizado pela Beloura Tennis Academy. Na final, pode vir a ter a companhia de João Monteiro.

Com vitórias sobre o oitavo e o segundo cabeças de série em dois dos três encontros anteriores, o sintrense de 32 anos voltou ao court na manhã deste sábado para tentar marcar presença na primeira final de singulares do ano. Do outro lado do campo estava Carlos Boluda-Purkiss, o seu companheiro de pares e carrasco de Bernardo Saraiva na eliminatória inaugural.

Era mais um encontro que não se antevia fácil, mas no qual Fred Gil voltou a exibir-se a um muito bom nível para surpreender (mais) um pré-designado. Desta feita, pelos parciais de 7-5 e 7-5 quando estava decorrida 1h45 de encontro, em mais um duelo onde soube ser superior do fundo do campo e criar dificuldades a um adversário que procurou vender cara a derrota.

Somadas quatro vitórias no segundo torneio Future em Sintra — é a prova mais perto de casa que Gil disputa — o ex-número 62 mundial, atual 561.º, vai discutir pela primeira vez em 2017 o título de campeão de uma prova de singulares. Ao todo, são 14 os títulos de singulares no palmarés de Gil (6 em torneios Challenger, 8 em Futures).

O adversário do tenista português ficará conhecido ainda este sábado e pode mesmo dar-se o caso da final ser 100% lusa, caso João Monteiro confirme o estatuto de primeiro cabeça de série e ultrapasse o turco Altug Celikbilek, quinto candidato ao título.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."