Gonçalo Oliveira deixou tudo em campo, mas falhou acesso à final

Gonçalo Oliveira (283.º) falhou na tarde deste sábado o apuramento para a final do quadro de singulares do Challenger de Poznan, na Polónia, depois de ontem ter garantido a passagem à final da competição de pares.

Tal como os embates das duas últimas rondas, frente a Jerzy Janowicz e Jonathan Eysseric, o confronto de hoje com Alexey Vatutin (256.º) conheceu momentos de grande equilíbrio, especialmente na segunda partida que contou com cinco quebras de serviço (três por parte do russo), mas desta vez a vitória não ficou do lado do tenista português — 2-6, 7-5 e 6-2.

Apesar da eliminação nas meias-finais frente a um adversário que, segundo o próprio, ontem, em declarações ao RAQUETC disse ser “um ótimo jogador e amigo”, o número 5 nacional despede-se da competição individual sabendo que na próxima semana poderá estar pela primeira vez na carreira no top 250 mundial, ou muito perto disso.

Mas ainda hoje Gonçalo Oliveira pode ter motivos para celebrar, dado que vai regressar ao court para a final de pares, onde joga ao lado do polaco Tomasz Bednarek. O português procura o primeiro título Challenger da carreira, depois de ter sido derrotado (juntamente com Fred Gil) no último encontro da prova de pares do Lisboa Belém Open.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.