Tenista espanhol torna-se no 2.º jogador nascido em 2000 a vencer um torneio Challenger

No dia em que Garbiñe Muguruza conquistou a 131.ª edição de Wimbledon, em Brunsvique, na Alemanha, um jovem tenista de nome Nicola Kuhn voltou a deixar bem patente que é uma das grandes promessas do ténis espanhol.

Com apenas 17 anos e três meses, Kuhn tornou-se este sábado no segundo jogador na história nascido em 2000 a vencer um Challenger, ao conquistar o título do fortíssimo torneio de Brunsvique.

O tenista espanhol, finalista da presente edição de Roland Garros júnior e responsável pela eliminação de Gonçalo Oliveira na primeira ronda do torneio alemão, bateu na final o croata Viktor Galovic por 2-6, 7-5 e 4-2, altura em que o seu adversário se retirou.

Com este título, o atual 501.º da hierarquia mundial irá dar um grande salto na classificação (254 posições) fruto dos 131 pontos acumulados, estando prevista a subida à 247.ª posição do ranking ATP. Esta foi apenas a sua segunda participação da carreira em torneios Challenger, ele que também já conta com um título do escalão Future.

Recorde-se que o primeiro tenista nascido em 2000 a vencer um torneio desta categoria foi Félix Auger-Aliassime, que no mês de junho venceu o Challenger de Lyon.

Ténis espanhol pode ter mais motivos de festejo já amanhã

As boas notícias para nuestros hermanos podem não ficar por aqui, visto que este domingo Alejandro Davidovich Fokina vai disputar a final individual masculina de Wimbledon. O 10.º classificado da hierarquia de juniores defronta o argentino Axel Geller.

Francisco Semedo
Licenciado em Turismo e a tirar Mestrado em Ciências da Comunicação, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.