Nuno Borges continua imparável e vai tentar a dobradinha no Open de São Domingos

LISBOA – O 2.º Open de São Domingos está a revelar-se o torneio perfeito para Nuno Borges dar início à nova aventura no circuito profissional. Depois do apuramento para a final de pares, o jovem português natural da Maia somou este sábado mais uma vitória e está também na decisão de singulares, pelo que vai tentar a dobradinha no Future de 25.000 dólares que se realiza no São João Ténis Clube, em Lisboa.

Presente nas meias-finais de um torneio profissional pela primeira vez na carreira, Borges — que está desde 2016 a estudar nos Estados Unidos da América, onde este ano atingiu, inclusive, as meias-finais do prestigiado campeonato universitário (não perca a conversa do jogador português com o RAQUETC) — lutou muito contra o espanhol David Vega Hernandez para conseguir a vitória, com parciais de 4-6, 6-4 e 7-5 em 2h35.

Depois de oito jogos sem qualquer break e mais de 40 minutos de jogo, Vega Hernandez (que está muito habituado a jogar em Portugal e já ganhou alguns títulos ao lado de tenistas lusos) foi o primeiro a conseguir uma quebra de serviço, que se revelou determinante para o desenrolar da primeira partida.

No segundo parcial, Nuno Borges conseguiu um break logo ao segundo jogo que lhe permitiu tomar o controlo do marcador e, com paciência, igualar o confronto. Com tudo em aberto, voltou a ser Vega Hernandez o primeiro a adiantar-se e durante grande parte do terceiro set o jogador português teve de correr atrás do marcador, até que…

A 4-5 no último parcial, o espanhol cedeu aos nervos e cometeu quatro erros para permitir o break a Nuno Borges, que de 4-5 passou para 6-5 salvando alguns break points pelo caminho para colocar toda a pressão do lado do adversário. A servir para se manter no encontro, David Vega Hernandez viu o jogador português de 20 anos elevar ainda mais o nível de jogo para conseguir nova quebra de serviço e celebrar a vitória mais importante da carreira.

Com quatro vitórias em quatro encontros, Nuno Borges está pela primeira vez na final de um torneio Future e vai tentar a dobradinha no Open de São Domingos, dado que ainda este sábado joga a decisão de pares, ao lado de Francisco Cabral.

Quanto ao adversário na final de amanhã, Nuno Borges sabe que será um compatriota, pelo que está garantida a vitória de um jogador português: João Monteiro e André Gaspar Murta vão lutar por essa vaga.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."